Tuesday, January 25, 2005

A dama e o vagabundo



Sentimento ambíguo esse que nos une!
Você que tomou pra si pessoas que eu amo.
mas me deu outras que eu aprendi à amar.
Tinha tudo pra odiá-la,
Mas me rendo à tua grandiosidade,
e sou capaz de me tornar teu escravo!
Tua fireza me assusta, tua elegância me fascina.
Tua charmosa arrogância me encanta,
eu até consigo achá-la bonita!
Tua complexidade me confunde e mesmo à distância
te sinto cada vez mais próxima!
E na eloqüência dos meus mais profundos sentimentos,
Não encontro um meio termo para o que eu sinto por ti!
Não te admiro, te idolatro!
Não te apriecio, te invejo!
Tu me influencias, eu te reverencio,
me espelho em ti, te imito, te cultuo,
copio teus gestos, teus tejeitos, teu sotaque...
Como eu pude gostar de ti assim!
Logo eu que tão pouco tinha em comum contigo,
nossas diferenças chegaram à nos fazer inimigos íntimos...
E hoje tu não me sais do pensamento,
me acompanhas dia, noite, noite, noite...
SÃO PAULO, EU TE AMO!
(A.Pantoja)

É difícil imaginar um carioca da gema declarando todo o seu amor à São Paulo? Não! Claro que não! Essas diferenças já caíram por terra faz muito tempo. Pelo menos pra mim!
Parabéns São Paulo! Parabéns Terra da garoa, da pizza, do progresso, da prosperidade, do trabalho, do Palmeiras, da Rita Lee, dos Demônios da Garoa, do Corinthians, da Hebe Camargo, do trânsito maluco, do Ibirapuera, do Anhangabaú, do São Paulo F.C., do MASP, da poluição, da balada, do Arouche, de Moema da Lapa...

Um grande beijo pra todos os paulistas e correlatos que eu amo e que ocupam um lugarzinho especial no fundo do meu coração! Comemorem! Vocês merecem!

A.Pantoja

P.S.: Gostaria de dedicar esse texto ao Maurício Soldi. O cara mais paulista que eu já conheci na vida, uma das jóias que São Paulo me deu e que me ensinou a amar essa terra!
Um beijo Mau! Sampa é a tua cara!

Monday, January 24, 2005

Prá Frida



Como uma onda
(Lulu Santos)

Nada do que foi será
de novo do jeito que já foi um dia.
Tudo passa, tudo sempre passará.
A vida vem em ondas como um mar,
num indo e vindo infinito.

Tudo que se vê não é
igual a o que a gente viu a um segundo.
Tudo muda o tempo todo no mundo.

Não adianta fugir, nem mentir pra si mesmo
agora há tanta vida la fora
e aqui dentro, sempre
como uma onda no mar


ÉFridinha! Hoje é aniversário do teu pequenino! Como é forte a tua presençanele!!! Comemoramos em silêncio, sentimos tua falta! Oramos por ti!
Sei que você está por perto. Por isso te dedico estes versos.
Nada como uma onda, depois de outra onda... Depois outra onda...

Friday, January 21, 2005

Tá lá o corpo estendido no chão!



Sexta feira, 21 de janeiro de 2005, Praça da República, Centro do Rio de Janeiro, dez horas da manhã. Um sujeito passa mal na calçada, se curva pra frente e...
Morte súbita! Caiu fulminado na calçada talvez vítima de um infarto!
Cem metros de distância separavam o infeliz do Hospital Souza Aguiar, cinqüenta do Corpo de Bombeiros, dois quarteirões do Instituto médico legal e um da Defesa Civil.
Dois Carros da Defesa Civil foram até lá, um do Bombeiro, um "Morcegão" e por fim uma Rádio-Patrulha foram ao local e até às duas e meia da tarde o pobre coitado continuava ali. Inerte, impotente, humilhado... Como se toda uma vida não tivesse significado absolutamente nada pra ninguém! Pelo menos alguém se dignou à cobrir o corpo e logo depois chama de uma vela ardia em respeito e memória àquela alma sofredora.
Inevitavelmente me veio à mente uma série de perguntas: Quem será aquele sujeito? O que ele ia fazer? Será que alguém deu por falta dele? Ao lado do corpo um envelope, certamente contendo documentos importantes... Que agora passa a não ter mais importância nenhuma!
E assim um dia acabou mais cedo pra alguém, uma vida se esvaiu alí naquela calçada suja, sob um mormaço abafado de um dia cinzento... Veio gente rezar, veio gente xeretar, veio gente pra ver se era alguém conhecido! Sò não veio ninguém pra dar um pouquinho de dignidade àquele homem! Mesmo depois de morto! Pelo menos tirar o corpo dele dali! É foda! Pra esses caras a vida humana vale cada vez menos. Fazer o quê! Foi a vida que nos deixou assim meio bronco, rude... Meio durão! Sabem do que eu me lembrei?

"Tá lá o corpo estendido no chão!
Em vez de rosto uma foto de um gol!
Em vez de reza uma praga de alguém,
e um silêncio senvindo de amém.

O bar mais perto de pressa lotou,
malandro junto com trabalhador!
Um homem subiu na mesa do bar
e fez discurso pra vereador...

Veio o camelô vender,
anel cordão perfume barato,
a baiana vai fazer pastel e um bom churrasco de gato (quatro horas da manhã).
Baixou o santo na porta bandeira,
e a moçada resolveu parar e então... Tá lá o corpo estendido no chão!"

(joão Bosco/Aldir Blanc)

Thursday, January 20, 2005

Eu de novo...

Tava olhando meu blog e acho que pela segunda vez olhei o contador...Caramba! Em pouco tempo quase 450 pessoas perderam seu tempo aqui, desde que coloquei os comentários. Algumas pessoas tem passado por aqui com regularidade, isso me deixa contente, porque fico muito feliz em saber que as palavras deste velho ainda servem pra alguma coisa, muito obrigado a todos que tem passado 5 minutos aqui com a gente...

Wednesday, January 19, 2005

Jesus na Ostra....



Porra,tem cada uma... Hoje eu tava dando uma olhada no Terra, quando vi uma chamada: "Italiano quer leiloar concha com suposta face de Cristo". Na minha curiosidade peculiar fui dar uma olhada, o negócio é o seguinte, o cara, Matteo Brandi um italiano de 39 anos, que vive na Suiça, afirmou ter encontrado uma concha de ostra, numa entrega, em sua casa eu presumo, e quando comeu a tal a concha teria colado em sua mão como um sinal divino. O cidadão ficou entusiasmado com uma noticia que na Flórida uma outra cidadã vendeu por US$ 28.000, 00 uma torrada com queijo cujas as formas lembravam a Virgem Maria, e só pra vcs acreditarem, ela fez um leilão na internet no eBay e página teve 1,5 milhão de hits....Não sei onde esse mundo vai parar....

Depois de ter lido isso, fiquei pensando e lembrei que a algum tempo atrás, eu fiquei gripado, numa das vezes que tive que assoar o nariz num daquele lenços de papel que eu não suporto, a meleca ficou com a cara de São José...Que coisa... Eu devia ter guardado. Hoje em dia o cara que comprou a torrada com queijo que lembra a Virgem Maria com certeza iria fazer uma coleção com a concha de Jesus e a porra do meu lenço de papel com São José estampado no mais puro Catarro Verde....ha,ha,ha,ah,ha,ah,ha
Ô seu Matteo Brandi vai trabalhar seu vagabundo!!!

Friday, January 14, 2005

Impensa Marrom

Você sabe quem é Larry Rohter? Bem, Larry Rohter é aquele correspondente do “The New York Times” que quase foi escorraçado daqui porque chamou o Lula de cachaceiro!
Este mesmo cara, agora publica uma matéria dizendo que “O Brasil vem enfrentando uma epidemia de obesidade, apesar da imagem que se tem no exterior de que as brasileiras têm belos corpos”. E diz ainda que “Numa sociedade preocupada com a forma física cujos símbolos para a cultura mundial incluem a Garota de Ipanema, a tanga, Gisele Bündchen e outras supermodelos, a idéia parece herética”.
Me corrijam se eu estiver errado: Esse babaca ta querendo aparecer, não está? Alguém já tinha ouvido falar nele antes do bafafá dos “drinks” do nosso presidente?
E o presidente do país dele que mandou bombardear o Iraque mesmo sabendo que lá não tinha armas de destruição em massa porra nenhuma? E os símbolos de cultura do país dele? Mônica “boqueteira” Lewinsky, a Garota de Washington? O McDonald’s? Condollessa Rice, o Condolessão?
Esculachar o nosso presidente ainda vá lá! Agora: Falar mal das nossas mulheres... Vá se foder seu palhaço! O Governo brasileiro devia ter cortado a tua língua desde o início! Eu queria ver se tu fosses correspondente aqui na década de 60... Tu ias escrever sobre moda, paisagismo, culinária... Aliás, escrever não! Ditar pra alguém! Porque tu estarias com as mãos quebradas.



Loirinha Bombril
(Versão: Herbert Vianna)

Para e repara!
Olha como ela samba,
olha como ela brilha,
olha que maravilha!

Essa crioula tem o olho azul,
essa lourinha tem cabelo bombril,
aquela índia te sotaque do sul,
essa mulata tem a cor do Brasil,
a cozinheira tá falando alemão,
a princesinha tá falando "nou-faire",
a italiana cozinhando feijão,
a americana se encantou com o Pelé...

Häagen-daz de mangaba, chateau-canela preta,
cachaça, made in carmo dando a volta no planeta.
Caboclo presidente trazendo a solução:
Livro, pra comida, prato pra educação

Para e repara
Olha como ela samba
Olha como ela brilha
Olha que maravilha

Wednesday, January 12, 2005

O Infernal



Luz dos olhos
(Nando Reis)

Ponho o meus olhos em você, sem você estar.
Dona dos meus olhos é você, avião no ar.
Um dia pra esses olhos sem te ver, é como chão do mar.
Liga o radio à pilha a TV, só pra você escutar,
a nova música que eu fiz agora,
lá fora a rua vazia chora.

Os meus olhos vibram ao te ver, são dois fãs, um par.
Luz nos olhos vidros pra poder, melhor te enxergar.
Luz dos olhos para anoitecer, é só você se afastar.
Pinta os lábios para escrever a tua boca em mim,
que a nossa musica eu fiz agora,
lá fora a lua irradia a glória,

E eu te chamo, eu te peço vem.
Diga que você me quer, porque eu te quero também.
Faço as pazes lembrando,
passo as tardes tentando lhe telefonar.
Cartazes te procurando,
aeronaves seguem posando sem você desembarcar,
pra eu te dar a mão nessa hora,
levar as malas pro Fusca lá fora,

e eu vou guiando, eu te espero vem.
Siga onde vão meus pés, porque eu te sigo também.
Eu te amo, eu te peço vem.
Diga que você me quer, porque eu te quero também.


Hoje é aniversário do Nando Reis, um cara que está longe de ser o melhor cantor do Brasil. Mas tem, entre outras coisas, o carisma, a genialidade, a criatividade e sensibilidade que o coloca no primeiro escalão da MPB! Um dos compositores mais requisitados na atualidade! Gosto dele!

Parabéns Grande Nando! Você é um dos poucos caras que, hoje em dia, fazem algo que preste na nossa música.

E aos Paulos Ricardos, Kelly Keys, Tiriricas, Rodriguinhos, Quebra Barracos, DJ's Serginhos & Lacraias da vida (e muitos outros que eu não me lembro agora), um singelo pedido: Enquanto há tempo, vão pra puta que os pariu!

P.S.: O site dele tá muito legal! Dá só uma olhada

Friday, January 07, 2005

Uruca!



'La Nación': Argentino sobrevive a megaterremoto, 11 de setembro e tsunami

O jornal La Nación, de Buenos Aires, conta nesta sexta-feira a história do argentino que sobreviveu a um terremoto, aos ataques de 11 de setembro de 2001 e, agora, aos tsunamis na Ásia.

Jorge Fallus, de 62 anos, estava na Cidade do México em 1985 quando um terremoto matou 30 mil pessoas. Em 2001, ele estava perto do World Trade Center, em Nova York, durante os atentados.

Na semana passada, Fallus estava em Phuket, na Tailândia, passando as férias quando a cidade foi atingida por um tsunami.

Fallus diz ao jornal que, depois de 35 anos passando as férias sempre no Brasil, decidiu justamente neste ano ano variar um pouquinho e experimentar a Tailândia, onde chegou com sua família na noite anterior à tragédia.

“Meus amigos me dizem: Avise onde você vai passar as férias, que a gente vai para o outro lado”, disse Fallus ao La Nación.
(fonte: Último Segundo - ig)

PU-TA-QUE-PA-RIU!

Uns vão dizer que o velho tem o corpo fechado, outros vão achar que ele tem sorte...
Só tenho uma coisa à dizer: VAI SER PÉ FRIO ASSIM NO CACETE!

Thursday, January 06, 2005

A vida e a Bela



Sonhei acordado contigo minha Bela!
Estavas chorando humilhada, triste, imolada...
Abandonei meu castelo e me pus a galopar pelas verdes pradarias de meu reino.
Deixei pra trás toda a pompa que a fidalgia exige.
Apenas galopava. Não pensava em nada, somente em ti princesa.
Não sabia onde nem como estavas...
Na verdade nem mesmo sei existes. Se és apenas um personagem. Uma saída de emergência projetada por alguém tão sonhador quanto eu.
A única coisa que sei, é que habitas as profundezas do meu romântico imaginário.
E por ti boto fogo em Roma, brado a minha espada, travo sangrentas batalhas em defesa de tua maculada dignidade, ainda que isto custe a minha própria... Até que se cale a última voz que se atreva a te descompor.
Só que eu me esqueci de um pequeno detalhe minha doce Bela: Eu sonho Shakespeare, não sonho La Fontaine! Não encontrei teu castelo, não fui capaz de chegar à teu cárcere.
De repente estava imerso no meio do nada. Somente o pôr do sol, meu alazão e Deus como testemunha!
Com o coração envenenado pelo rancor à quem te feriu, vítima da minha impotência, das minhas próprias imperfeições, vaguei solitário e desiludido na imensidão do bosque da minha alma!
Te chamam de cortesã, volúvel, leviana... Não me contento apenas com o teu “Deixe que falem”.
Queria lutar pela tua honra. Mas não fui capaz de resistir e sucumbi às minhas limitações.
Minha fraqueza não me faz digno de ser teu príncipe.
Me restou o consolo de que tu te restabelecerás porque tu és forte, tu és valente por nós dois.
E me reservo silente à admirar-te. Porquê pra mim, és sensível, és doce, és mulher...
Pra mim tu és bela!

Esse é phoda!



O Vampiro

Tu que, como uma punhalada,
Em meu coração penetraste,
Tu que, qual furiosa manada
De demônios, ardente, ousaste,

De meu espírito humilhado,
Fazer teu leito e possessão
- Infame à qual estou atado
Como o galé ao seu grilhão,

Como ao baralho o jogador,
Como à carniça ao parasita,
Como à garrafa ao bebedor
- Maldita sejas tu, maldita!

Supliquei ao gládio veloz
Que a liberdade me alcançasse,
E ao veneno, pérfido algoz,
Que a covardia me amparasse.

Ai de mim! Com mofa e desdém,
Ambos me disseram então:
"Digno não és de que ninguém
Jamais te arranque a escravidão,

Imbecil! - se de teu retiro
Te libertássemos um dia,
Teu beijo ressuscitaria
O cadáver de teu vampiro!"


Charles Baudelaire, poeta do caralho.

Tuesday, January 04, 2005

Minha musa!



Fumo

Longe de ti são ermos os caminhos,
longe de ti não há luar nem rosas,
longe de ti há noites silenciosas,
há dias sem calor, beirais sem ninhos!

Meus olhos são dois velhos pobrezinhos
perdidos pelas noites invernosas...
Abertos, sonham mãos cariciosas,
tuas mãos doces, plenas de carinhos!

Os dias são outonos : choram... choram...
Há crisântemos roxos que descoram...
Há murmúrios dolentes de segredos...

Invoco o nosso sonho! Estendo os braços!
E ele é, oh meu amor, pelos espaços,
fumo leve que foge entre os meus dedos!...

Todos os meus anseios, sofrimentos e paixões da adolescência, foram embalados por ela! Minha musa. FLORBELA ESPANCA!
Tenho inveja dela! Morreu de amor!